Da neta para as avós! » Angeliica.com, por Angélica Viegas
Datas Especiais

Da neta para as avós!

Ontem, assim que me deitei para dormir, tentei colocar as idéias no lugar, a fim de encontrar inspiração para um post em homenagem ao dia de hoje, dia dos avós (que alguns cismam em chamar também de dia da vovó)! Conforme eu ia pensando, um flash do que já vi na vida ia passando… Só que, como os problemas acontecem nas melhores famílias (e a minha é uma delas), prefiro deixar os detalhes de fora! Rs…

Minha mãe sempre fez tudo o que pôde para que nunca me faltasse nada! Só que minha mãe tem um jeito que é característico dela, que eu não entendo e que prefiro deixar como está! Até o jeito de demonstrar carinho é diferente, mas isso não me incomoda. A relação dela com a minha falecida avó (mãe dela) também nunca foi muito calorosa (sabe Deus porquê)! Isso também nunca me incomodou, até porque elas sempre se deram bem… Ou seja, resumindo, a relação entre a minha mãe e a minha avó (mãe e filha) era parecida com a relação atual entre eu e a minha mãe

Quando o assunto é sobre avós, a história da minha mãe também se parece muito com a minha! Pelas coisas que ela me conta, de quando era criança, sua avó paterna era puro amor (não me pergunte da materna porque, ela raramente é citada, e quando há exceções, ela nunca aparece em gestos muito amáveis)! E comigo é igual: minha avó paterna também é puro amor comigo, enquanto a minha falecida avó materna sempre teve um jeitão casca grossa (tipo vovó vida loka do Pânico, já viram?! :)
Mas, isso também é outro fato que não me incomoda porque, eu sei que esse sempre foi o jeitão dela (filha de italiano ranzinza e com uma vida um pouco sofrida)! Eu nem podia exigir muito… Mesmo com aquela marra toda, sinto falta dela comigo! Ela que me fazia companhia a noite, que eu adorava encher o saco… Saudade gigantesca! Ela se foi em 2006 (vítima de problemas nos pulmões e nos rins), vivo na casa onde ela morou por anos e levo comigo o bom humor que ela tinha! Sei que, onde ela estiver, ela olha por mim!
Uma me deixou, mas a outra permaneceu. Uma avó que é minha mãe três vezes por ser, além de vó, minha madrinha de batismo! Que reza por mim, se preocupa comigo e até se sacrifica dando caminhadas até a vendinha da rua só para comprar quitutes para eu comer quando lhe faço visitas!

Preciso dizer qual delas é a paterna (puro amor) e qual é a materna (marrenta)? Rs… As feições delas na foto já definem qual é qual x)

Pelo que vejo, a história continua com o Diguinho! Minha mãe (de rosa) e minha sogra (de preto :)

Ele se mostra mais apegado com a avó paterna do que com a materna (minha mãe)… Rs… Também, minha mãe é bem cara da mãe dela mesmo (doidona), do tipo que aperta, beija, sacode… Tudo junto e misturado! Enquanto a mãe do Rodrigo (maridón) é mais delicada nos movimentos! Rs…

Enfim… Falei, falei e não desejei feliz dia dos avós para as avós da minha vida… O post pareceu até monólogo! Rs… Que venham outros dias dos avós com a minha única avó viva, e que o Diguinho aproveite as duas avós coruja que ele tem, já que ele ainda é novinho e tem muito tempo pela frente ♥