Saúde

Monilíase: conheci e não foi um prazer!

Há quem compartilhe de tudo na internet: tem gente que compartilha um simples passeio na praia, enquanto outros preferem registrar passagens pela enfermaria de um hospital (deixando todos os amigos da timeline curiosos, e muitas vezes, até preocupados)! Rs…
Eu confesso que sou do tipo que sempre acaba compartilhando uma coisa ou outra… Mas, quando se trata de doença, prefiro não ficar fazendo muita exposição. Só que, quando se é formadora de opinião (termo pelo qual algumas blogueiras andam sendo chamadas), os acontecimentos podem fazer diferença para quem busca por situações parecidas com as quais a gente passa! E pensando nisso, resolvi abrir uma exceção para falar a respeito de uma doença chatinha, que atingiu o meu Diguinho: a monilíase!

Mas, o que é Monilíase?

Conhecida também como sapinho (que afeta a mucosa oral), a monilíase é uma infecção causada por um fungo chamado candida albicans, o mesmo da candidíase (que afeta a mucosa genital), e que faz parte da flora no trato gastrointestinal e no genital das pessoas, portanto está presente no organismo.

Foto: Pinterest

Já era para eu ter publicado este post, já que ele está rascunhado desde o mês de Junho (época em que o Diguinho contraiu a monilíase)! No caso dele, o fungo atingiu somente a mucosa oral e deixava o Diguinho totalmente desinteressado em comer! Claro que, procuramos a nossa pediatra, que receitou um medicamento para ser usado na região atingida. E graças ao medicamento, a camada branca que tomou conta da língua, gengiva e céu da boca do Diguinho desapareceu!
Para me aprofundar no assunto, busquei informações no sr. Google, que me levaram até o site Imirante.com! Leia, e veja se alguma das informações abaixo pode sanar suas dúvidas ;)

[space size=”10″]
[divider color=”#f1f1f1″]
[space size=”10″]

Quem são os mais afetados?

Os mais afetados são os bebês, os idosos, as pessoas com doenças imunossupressoras (AIDS, leucemia), as pessoas que utilizam fortes medicamentos (quimioterápicos, antibióticos e corticóides), os diabéticos e as pessoas internadas.

Quais são os sintomas?

O principal sintoma é o aparecimento de uma camada branca sobre a mucosa de alguma parte da boca (língua, gengivas, parte interna das bochechas e até nos lábios). Quando atinge os bebês, a camada branca acaba sendo confundida com restos de leite.
Quando atinge as genitais dos bebês, ela se manifesta através de bolinhas avermelhadas, que normalmente não causam incômodo. Em casos graves, podem causar dor, irritação e coceira. Também é comum o fungo ser encontrado sob as unhas e nas dobras da pele.

Quais as precauções?

Caso haja suspeita de monilíase (ou qualquer outra doença, claro), é imprescindível a procura por um médico! Recomenda-se não raspar, cutucar ou mexer na área infectada, para não agravar o problema. Lactantes devem se atentar a qualquer mudança na região das mamas (para que o bebê não transmita a doença para a mãe).

Qual o tratamento adequado?

Na maioria dos casos, o tratamento consiste na aplicação de medicamentos sobre a mucosa afetada. Caso se estenda para outras partes do corpo (esôfago, unhas e dobras cutâneas), se faz necessário um tratamento via oral.

O que fazer para se prevenir?

Nada além de uma boa higiene. Na maioria dos casos, o problema surge devido à baixa imunidade. O fato de as crianças utilizarem mamadeiras, chupetas e fraldas, aumenta o risco da infecção. Os bebês, por terem o hábito de botar tudo o que veem na boca, estão mais sujeitos à monilíase por não terem o sistema imunológico totalmente desenvolvido.
É importante ficar atento à higienização de tudo o que as crianças levam à boca e também arejar as áreas cobertas pela fralda.

Créditos: Imirante.com

[space size=”10″]
[divider color=”#f1f1f1″]
[space size=”10″]

Importante:

Nunca tome nenhuma atitude sem antes consultar um médico, ok?!

Paulistana do signo de libra (em 02/10), que é casada e mãe coruja, e que ♥ adora chocolate, nerdiar na internet, ouvir música e viajar! Clica aqui para saber mais!

Um comentário

  • Nique

    Nossa, tadinho do Diguinho. Deve ter sido horrível mesmo. Aqui em casa Lele tem mania de colocar tudo na boca, espero que ela n tenha isso.