Peppa Pig: amor receoso!…

em TV por

Antes de qualquer coisa, quero adiantar que todo mundo aqui em casa é apaixonado pela Peppa (claro que a admiração maior fica por conta do Diguinho)! Só que, tem algumas atitudes dela que nos preocupam um pouco… Motivo que me fez refletir e compartilhar por aqui!

Eu duvido que exista, na face da terra, alguma criança que não conheça a Peppa Pig… Dentre crianças de 2 a 10 anos, é certeza de que ela é famosa!

Aliás, andei lendo em alguns veículos de comunicação que, a pedido dos filhos, mamães e papais andam caçando coisas da série infantil! Mobilização geral mesmo, e das grandes! A porquinha está tão em evidência que, os personagens da série já viraram até bonecos de pelúcia:
Foto: Alice Convite

Nem dos temas para festas de aniversário a família Pig escapa:
Foto: Partylicious

Também, não é para menos… Uma família de porquinhos simpáticos, com histórias parecidas com as nossas, e que conversam de uma maneira super cativante… Que criança resiste?! Nem eu, que sou mãe, resisto!
Gente, na Peppa tudo é muito fofo: a começar pelas ilustrações (não parece que foram feitas por crianças?! – adoro)! A casinha é o que eu mais acho divertido, pelo fato de ter sido ‘construída’ em cima de um morro gigante, de onde eles não caem de jeito nenhum – acho o máximo! Tem coisa mais inocente?! Sem dúvida de que foi super pensado para crianças! E as musiquinhas? Batidinhas divertidas, repetidas, e que não saem da cabeça :)

Aqui em casa, Peppa Pig é sinônimo de um filho entretido e quietinho, enquanto uma mãe lava, limpa, passa, cozinha… Isso até a página 2, que é quando a Peppa passa a se comportar de uma maneira sem graça, a ponto de influenciar (de maneira negativa) esse filho que se encontrava entretido e quietinho! Era aqui que eu queria chegar!

Não vejo necessidade de uma série tão fofa como Peppa Pig mostrar a protagonista (super admirada pelas crianças) fazendo o irmão mais novo chorar ou zombando dos pais… E, para dar um exemplo, fiz questão de selecionar o episódio ‘Casa na Árvore’ para que vocês se atentem, como eu, a um detalhe que me deixa muito incomodada!

Se a preguiça de dar play no vídeo não tomou conta, acredito que vocês tenham reparado que a Peppa debocha do próprio pai, quando a mamãe pede para entrar na casinha:

Mamãe: É a mamãe! Tem lugar para mais visitas?
Peppa: Hum… Tem que dizer as palavras secretas. Depois pode entrar na nossa casa!
Mamãe: Entendo! E quais são essas palavras?
Peppa: Tenho que sussurrar elas para você! As palavras secretas são: o barrigão do papai!
Mamãe: Entendo…
Papai: Acho essas palavras secretas bobas…
Peppa: A casinha tem lugar para o papai também!
Papai: Pode me dar outras palavras secretas, por favor?!
Mamãe / Peppa / George: Não!
Papai: Ah, está bem! O barrigão do papai!
Todos: Kkk…

Qual o intuito de fazer com que a Peppa pratique bullying (não sei se vou parecer radical, mas…) com o próprio pai, zombando do ‘barrigão’ dele? Fazer com que as crianças façam o mesmo em suas casas? Só pode ser! Pelo menos é o que a atitude dela me faz pensar!!!
Por aqui, o Diguinho não debocha nem dos meus e nem dos defeitos físicos do pai dele… Por enquanto porque, a Peppa já conseguiu fazer com que ele chame tanto o pai quanto as outras pessoas de bobos! E olha que ele faz questão de soltar a frase todinha, minha gente: “Papai bobinho!”
Pode parecer coisa de criança ingênua, que não sabe o que fala… Mas, gente, esse lance de ‘as crianças não entendem’ já virou lenda! Hoje em dia, elas já nascem sabendo mexer em tablets!

Acho totalmente desnecessário uma série infantil (que recebbeu o prêmio BAFTA em 2005 e 2012, como melhor animação para crianças em idade pré-escolar – entre outras premiações) ‘incentivar’ atitudes como essas… Tudo bem que, os demais personagens desempenham um papel importante, que é o de educar e dizer o que é certo a se fazer… Mas, mesmo assim, o lado negativo sempre prevalece!

Mesmo tendo a certeza de que irei receber críticas pelas minhas opiniões (digo isso porque sei que todo mundo adora a Peppa), não pude deixar de compartilhá-las aqui! Aliás, este post saiu especialmente com o apoio do papai daqui de casa – Rodrigo (o principal alvo dos deboches da Peppa, aprendidos pelo Diguinho) =/

Observação: a palavra ‘remédio’ está sem acento porque a fonte que baixei não possue nenhum acento ;)

Será que, o melhor remédio é a extinção de Peppa Pig aqui em casa? Claro que, o nosso dever é repreender… Mas, e quando nem isso adianta? :(
Alguém por aí anda pensando igual?
#dilemademae

Fechado para comentários.